Geral 05/02/2018 - 16:22 - (Wilma Araújo/Governo do Tocantins)

Detran e PM participam de Mobilização Nacional da Operação Lei Seca durante o fim de semana

Detran e PM participam da Mobilização Nacional da Lei Seca Detran e PM participam da Mobilização Nacional da Lei Seca -
Operação Lei Seca Operação Lei Seca -
Operação Lei Seca Operação Lei Seca -

O Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran/TO) em parceria com a Polícia Militar participaram da Mobilização Nacional da Operação Lei Seca realizada, simultaneamente, em 17 estados na madrugada de sábado para domingo, 4. Na Capital, a blitz foi realizada na Avenida NS-02 e contou com a participação de 12 Agentes de Trânsito do Detran. 

A Operação Lei Seca tem como foco principal a proibição da condução de veículos por motoristas que tenham ingerido bebida alcoólica.

Na Operação foram realizados 67 testes de bafômetro, abordados 78 motoristas, 14 documentos recolhidos, entre, Carteira Nacional de Habilitação (CNH)/Permissão Para Dirigir (PPD) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), a remoção de 5 veículos e a prisão de 01 condutor.

De acordo com o gerente de Fiscalização e Segurança do Detran Tocantins, capitão Geraldo Magela, as operações vão continuar durante todo o período que antecede e, também, durante o Carnaval. As ações serão intensificadas e vão ocorrer durante a folia nas cidades de Palmas, Gurupi e Porto Nacional. 

“A orientação aos motoristas que vão participar da folia é prudência e responsabilidade, essas são as palavras-chave para o período de carnavalesco. A segurança é fundamental para que o condutor evite acidentes e venha colocar em risco a própria vida e a vida de outras pessoas. O intuito da Operação Lei Seca é preservar vidas com medidas preventivas do Detran”, alertou o gerente de Fiscalização.

O capitão alertou, ainda, para a legislação relacionada à proibição da condução de veículos por motoristas sob efeito do álcool. A legislação prevê que praticar lesão corporal culposa na direção do veículo automotor, a pena é de detenção de seis meses a dois anos, e suspensão ou proibição do direito de dirigir. 

No caso de homicídio culposo, a pena é fixada com o aumento de um terço, contudo, conforme a nova legislação, se o motorista conduz o veículo automotor sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência e provocar o homicídio, a pena será de reclusão de cinco a oito anos e suspensão ou proibição do direito de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.  

Trânsito Seguro

O Detran alerta, ainda, para a importância do uso do cinto de segurança, do capacete com abotoadura completa e viseira, controle de velocidade conforme sinalização para os percursos sinalizados e, principalmente, a adoção do chamado “amigo da vez”, método que possibilita ao proprietário se divertir nas festas, mas tendo outra pessoa responsável pela condução do carro.

Compartilhe esta notícia